VANITAS

    A palavra em latim remete a vaidade e futilidade. É de conhecimento geral que em arte pode ser compreendida como uma alusão à efemeridade e a insignificância da vida terrena. Aqui a obsessão pela morbidez acerca do tema tem a chance de ser sobrepujada pela beleza contida nas cores, formas e nas memórias sinestésicas das flores, frutas e objetos.

    "Uma flor nasceu na rua! Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego. Uma flor ainda desbotada ilude a polícia, rompe o asfalto. Façam completo silêncio, paralisem os negócios, garanto que uma flor nasceu.Sua cor não se percebe. Suas pétalas não se abrem. Seu nome não está nos livros. É feia. Mas é realmente uma flor."

 A Flor e a Náusea / Carlos Drummond de Andrade

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom